top of page

         O encéfalo é o grande centro de controle de quase todas as funções corporais e que nos diferencia dos demais animais. Apesar de sua importância, é um órgão extremamente frágil e, por esse motivo, é envolvido por um crânio rígido. "O encéfalo pode ser lesionado por um traumatismo craniano, pode ser comprimido por um tumor ou privado de oxigênio por uma ruptura ou um coágulo em uma das artérias cerebrais" (MOORE; DALLEY; AGUR, 2018).

          Os ossos que envolvem o encéfalo constituem o neurocrânio e a cavidade que o contém é a cavidade craniana. Em seu interior, o encéfalo é dividido em telencéfalo (cérebro) e diencéfalo, cerebelo e tronco encefálico. Vale ressaltar que é muito comum alguns livros considerarem o telencéfalo e o diencéfalo como divisões do cérebro. Os giros, sulcos e fissuras do córtex cerebral podem ser visualizados através das delicadas lâminas das meninges aracnoide-máter e pia-máter quando os ossos que formam a calvária e a dura-máter são removidos . "Enquanto os giros e sulcos exibem muita variação, as outras características do encéfalo, inclusive as suas dimensões gerais, são bastante uniformes entre os indivíduos" (MOORE; DALLEY; AGUR, 2018).

Vista lateral direita do encéfalo

Vista medial do encéfalo

Imagem1.jpg

Vista superior da calvária

20190923_094725.jpg

Vista superior do encéfalo na cavidade craniana

20151204_135852.jpg

Vista superior da cavidade craniana e do hemisfério cerebral esquerdo

20151204_135911.jpg

Cavidade craniana (divide-se em:)

Fossa craniana anterior

Fossa craniana média

Fossa craniana posterior (contém a:)

Fossa cerebelar

1. TRONCO ENCEFÁLICO

        O tronco encefálico é contínuo superiormente à medula espinal e é dividido em bulbo, ponte e mesencéfalo, ocupando a fossa craniana posterior. Em geral, as funções do tronco encefálico são:

 

  • conecta a estreita medula espinal ao prosencéfalo expandido servindo como conduto para os tratos ascendentes e descendentes;

  • contém centros de reflexos importantes associados ao controle da respiração e do sistema cardiovascular e ao controle da consciência;

  • contém os núcleos importantes dos nervos cranianos III a XII e suas origens aparentes.

Vista medial de corte sagital mediano

- Tronco Encefálico -

IMG_20180910_102015808.jpg

Vista ântero-inferior

- Tronco Encefálico -

20151204_133031.jpg

1.1. Bulbo

        Assim que a medula espinal passa pelo forame magno do osso occipital, ocorre uma dilatação do tecido nervoso formando a porção caudal do tronco encefálico, conhecida como bulbo (medula oblonga). Muitas das estruturas observadas na medula, principalmente, os sulcos e fissuras são contínuos nas faces bulbares, porém, várias modificações na substância cinzenta e branca começam a ser observadas, sendo as principais, o desenvolvimento de núcleos, como de alguns nervos cranianos, núcleos relacionados aos fascículos do funículo posterior e núcleos de centros cardiovasculares e respiratórios, o que confere a essa porção do tronco encefálico importante função relacionada à função cardiovascular e respiratória. 

Vista anterior

20151204_133031.jpg

Vista posterior

IMG_20180910_094228472.jpg

1.2. Ponte

          A ponte é a porção média e mais volumosa do tronco encefálico. Está localizada anteriormente ao cerebelo e conecta o bulbo ao mesencéfalo. Sua nomenclatura se deve ao aspecto da sua face anterior, que se assemelha a uma ponte conectando os hemisférios cerebelares direito e esquerdo. De fato, a semelhança com uma ponte não é apenas em seu aspecto pois sua face anterior convexa mostra muitas fibras transversas que convergem em cada lado para formar o pedúnculo cerebelar médio, a principal estrutura que liga o cerebelo à ponte.

Vista anterior

20151204_133031.jpg

Vista posterior

IMG_20180910_094228472.jpg

Vista posterior - estruturas relacionadas ao IVº ventrículo no bulbo e na ponte

20220429_155532.jpg
Imagem5.jpg

Imagem retirada de PROMETHEUS, 2018.

1.3. Mesencéfalo

       O mesencéfalo é a porção mais superior do tronco encefálico, mede em torno de 2 cm de comprimento e conecta a ponte e o cerebelo, ao diencéfalo e ao telencéfalo, estruturas originadas do prosencéfalo. 

Vista anterior

20151204_133031.jpg

Vista posterior

IMG_20180910_094228472.jpg
Imagem4.jpg

Pilar do cérebro

Tegmento

Imagem adaptada de Snell, 2010.

Vista medial de corte sagital mediano

IMG_20180910_102015808.jpg

Vista superior de corte transversal do mesencéfalo passando pelos colículos inferiores

Pedúnculo cerebral

Vista anterior

IMG_20180913_181516544.jpg

Vista posterior

20220429_155532.jpg

Vista posteroinferior

20220429_155638.jpg

Vista lateral esquerda

20220429_155612.jpg

2. CÉREBRO

          O cérebro é a maior parte do encéfalo, situado nas fossas anterior e média do crânio e ocupando toda a concavidade da calvária. Divide-se em duas partes: o diencéfalo, porção mais profunda e contínua com o mesencéfalo do tronco encefálico, e o telencéfalo, que forma a porção mais periférica e volumosa, os hemisférios cerebrais. Vale ressaltar que alguns autores consideram cérebro e telencéfalo como sinônimos, mas em nosso site vamos descrever o telencéfalo como uma divisão do cérebro.

Vista medial de corte sagital mediano

Imagem6.jpg

2.1. Diencéfalo

           É a parte do cérebro composta pelo tálamo, hipotálamo, epitálamo e forma o núcleo central do encéfalo, contendo núcleos envolvidos com o processamento sensorial e motor entre os centros encefálicos superiores e inferiores. Alguns autores consideram uma quarta área como parte do diencéfalo, o subtálamo. Além disso, o diencéfalo contém o terceiro ventrículo e as estruturas que formam os seus limites. 

            Os limites do diencéfalo são determinados para facilitar sua compreensão, porém, na verdade, do ponto de vista funcional, as fibras nervosas cruzam esses limites livremente. Dessa forma, podemos dizer que o diencéfalo é uma região mediana (com metades simétricas direita e esquerda) que se estende anteriormente desde os forames interventriculares até o ponto em que o IIIº ventrículo se torna contínuo com o aqueduto do mesencéfalo.

Vista medial de corte sagital mediano

- Divisões do Diencéfalo -

Imagem8.jpg

Vista medial de corte sagital mediano

Imagem7.jpg
Corpo Caloso
Pilar do Fórnice
Sépto Pelúcido (telencéfalo)
Corpo do Fórnice
Plexo Corióideo do IIIº Ventrículo
Estria Medular do Tálamo
Forame Interventricular
Comissura Anterior
Aderência intertalâmica
Lâmina Terminal
Quiasma Óptico
Tálamo
Hipotálamo
Eminência mediana no túber
Infundíbulo (Haste Hipofisária)
Glândula Hipófise
Recesso Pineal
Pedículo Pineal com a Comissura das Habênulas
Sulco Hipotalâmico
Recesso do Infundíbulo

2.2. Telencéfalo

      O telencéfalo é formado pelos hemisférios cerebrais, os quais contém um córtex em sua superfície, uma região interna de substância branca medular, formada por fibras comissurais, fibras de associação e fibras de projeção e que contém os núcleos da base de substância cinzenta profundamente.

            Durante a formação do embrião (fase embrionária), o desenvolvimento do telencéfalo acontece de maneira súbita e de extrema velocidade, a cinética da substância cinzenta do córtex cerebral é mais rápida do que a da substância branca, além disso, o córtex cerebral cresce rapidamente dentro de uma cavidade fechada, a cavidade craniana, o que acarreta no dobramento da parte do córtex sobre si mesma. Assim, percebe-se na superfície do cérebro do Homo sapiens e de outras espécies próximas, várias depressões chamadas sulcos, que marcam os giros ou circunvoluções cerebrais.

Vista superior

IMG_20180910_093952422.jpg
IMG_20180910_093730473.jpg

Vista superior

        Os hemisférios cerebrais (direito e esquerdo) desempenham maiores funções para a efetividade da parte funcional do cérebro e são separados parcialmente pela foice do cérebro na fissura longitudinal do cérebro, uma fissura bastante profunda e mediana, além de apresentar notadamente giros e sulcos do córtex cerebral.

      Cada hemisfério cerebral é dividido em quatro lobos; cada um deles recebe o nome dos respectivos ossos do crânio aos quais estão relacionados, mas seus limites não coincidem com esses ossos. Cada lobo cerebral tem seus principais giros e sulcos, e dentre eles existem os principais que separam as regiões do cérebro e/ou são responsáveis por uma função específica.

       Os sulcos primários do cérebro possuem pouca variabilidade e aparecem de forma mais constante em diferentes cérebros e, por isso, são utilizados para delimitar os lobos cerebrais.

Vista superior

- Lobos e sulcos primários -

IMG_20180910_093730473.jpg
IMG_20180910_093747300.jpg

Vista lateral direita

- Lobos e sulcos primários -

IMG_20180910_093910587.jpg

Vista lateral esquerda

IMG_20180910_093818992.jpg

Vista medial

- Lobos e sulcos primários -

        Os sulcos secundários são mais variáveis, ou seja, apresentam mais variações anatômicas entre diferentes cérebros e até mesmo entre os hemisférios cerebrais de um mesmo cérebro. Esses sulcos delimitam giros cerebrais dentro dos lobos cerebrais.

         Os lobos frontais ocupam a parte anterior do crânio (fossa anterior e parte anterior da calvária) e possuem três sulcos principais, que são os sulcos pré-central, frontal superior e frontal inferior. Entre o sulco central e o pré-central está o giro pré-central, responsável pela área motora do cérebro. Entre os sulcos frontal superior e frontal inferior, está o giro frontal médio e abaixo do sulco frontal inferior, o giro frontal inferior. Este último pode ser chamado de giro de Broca (mais predominante do lado esquerdo), onde se localiza uma das áreas motoras da linguagem. "A área da fala de Broca executa a formação de palavras por suas conexões com as áreas motoras primárias adjacentes; os músculos da laringe, boca, língua, palato mole e os músculos respiratórios são estimulados apropriadamente" (Snell, 2010).

Vista superior

- Lobos e sulcos primários e secundários -

IMG_20180910_093730473.jpg
IMG_20180910_093747300.jpg

Vista lateral direita

- Lobos e sulcos primários e secundários -

Vista inferior

- Lobos e sulcos primários e secundários -

20190703_141709.jpg
IMG_20180910_093818992.jpg

Vista medial

- Lobos e sulcos primários e secundários -

Vista superior

Vista superior

IMG_20180910_093952422.jpg
IMG_20180910_093937756.jpg